sábado, 3 de outubro de 2009

Brisas primaveris

Mas se é pra chegar que venha!

Que venha Boa Brisa
Venha!
Sopra vento novo dentro de mim

Semeia nova era
PAZ no coração

Depois de um frio daqueles ...
VEM (!) a Primavera!

(BOA BRISA, J e R)

ao reencontro!

Salve Geral!
Vamos Lá!


3 comentários:

Rapha disse...

que alegria meu querido!
fico tão feliz!
pra sempre nas estações e nas novas eras...


Amor

ligia.aggio disse...

VEEEEEM

grandes pescadores da poesia viva!
bem boa a brisa!

que venha!
salve, salve!
vamos lá!

à arte do reencontro!
acima de todos os desencontros da vida!

Anônimo disse...

Brisa no retrovisor

O vento bate forte
No revolve-se do rebate
De ir e vir
Em subir e descer
Dentro de um turbilhão.
Ares outrora descendentes
Nas correntes, ascendentes presentes
Na mira certa robusta fixada
Mirada, danada no pára-brisa.
No rumo de uma estrada a desbravar
Vejo tantos a lamuriar
Ignorando o sonho do frescor
De uma brisa, musa que muda
Em novos ares que sempre hão de surgir!
Gente parada, moldada pra trás
Sem brisa, sem frescor e sem atmosfera
Na engrenagem de uma esfera da mesmice redundante!
Ficam pra trás, pois ando contínuo...
Avante!! Neles os ares não batem, rebatem !
Contemplo-os de longe com o vento na face
Em um painel de vácuo,como num visor
Vejo-os de longe, parados, lascados,
Perdidos travados, estagnados...
Pelo retrovisor!

oldneo