quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

O eterno volta neste fim de agora
Aqui e sem te esperar mais, esqueço o quanto sonhei. Meu nome é Oniriel e o Raphael fez o favor de me manter escondido porque tinha medo de ser confundido com a minha personalidade introspectiva e avassaladoramente quieta e de pouquíssimas palavras. O que acontece agora é que nada está acontecendo e não há inspiração alguma ou sorte de paixões acelerando a correnteza vermelha dentro da gente. Só o escorrer das horas está valendo-se de algum sentido verdadeiro, o resto tem sido nada e não há emoções sendo redescobertas... Que tédio! Mas os meus sonhos, áh nos meus sonhos! A coisa muda e a história é sempre outra e o senso do incenso da magia do sonhar me traz cheiros verdes esperançosos. Como te explicar? Só se tu aceitar a andar no céu comigo, vem?... Ai sim! Olha, fecha os olhos e aguarda um tempo sem pensar no tempo e em quase mais nada e devagar vá se transfigurando naquilo que tu queiras ser e esteja bem consciente de que qualquer coisa vale, mas o melhor verdadeiro é ser majestosamente simples. Conseguiu?... Rs! Sei, não quer falar. Tudo bem zen! Eu, vou-me embora, quieto como sempre e implacável como um sonho.

7 comentários:

Victor Jabbour disse...

É, Rapha! Por aqui, a fonte secou... Rsrs! Tô vendo se dando um tempo regenero minha mente, como numa correnteza nova.

E que sonhos novos possam nos inspirar novamente!

Abrax!

Raphael de Souza Araujo Lima disse...

É bom e natural: o caminho da vida é assim enche e esvazia...
pelo menos é assim que tenho sentido, não sei também né, é o que eu to achando, vamos ver... Mas eu já senti que a fonte mesmo nunca seca só dá um tempo, re re re!

Vamos inspirados ou não, vamos que a mesma vida, eu acho, não sei não, é feita de ir mesmo e se indo nós vamos, não sei pra onde mas vamos, ôôô se vamos, um dia tu vai ver, eu também, sei lá... ra ra ra!

Josa disse...

correnteza nunca seca. vamos seguindo. sobreviver sem perder a paixão.

abs grande, queridos.

óli de castro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
óli de castro disse...

à procura de novas nascentes, novas fontes de inspiração...

Lígia Aggio disse...

por aqui
nada seco
tudo molhado

sorrindo
chorando
transbordando
respirando
trabalhando
transformando

ando
ando
ando

corro
corro
corro

canso
canso
canso

paro
deito
durmo

vou
vôo
vou

sonhando
sonhando
sonhando

volto
desperto

longe e perto
o onírico concreto
nesse caminho reto

bem

no meio

zen

Jeronimooo disse...

Majestosamente simples! Implacável como um sonho!
Obrigado!