quarta-feira, 5 de agosto de 2009

MICHAEL

outro fim não poderia ter
mito morto
mito vivo
mito

espelho e sacrifício
do deus tv
deus antena
deus professor
deus

criança perdida
no shopping
no parque


outro fim não poderia ter
não teve.

2 comentários:

Rapha disse...

legal tu falar sobre a morte amigo. estou diariamente e cada vez mais impressionado com a morte... não me sai da cabeça que num belo dia simplesmente se morre... as pessoas amadas, as odiadas, os astros, os desconhecidos e todas as outras pessoas feitas da mesma matéria que a minha... se morre e pronto! é tão simples e forte e inevitável que eu choro. por que não é infinito porra? por que acaba? por que parece que não vai acabar? ai eu choro mais! e dai né?! morre-se mesmo. mas vou fazer de toda a minha vida um eterno jorro de idéias e energias que pelo menos no sutil eu vou construir com luz e sombra uma infinitude de coisas sentidas no que chamamos de Espírito. agora dou risada! só a ARTE natural de cada instantezinho sabe o que eu sinto mesmo neste mundo tão sei lá o que!
ARTE VIDA MORTE!
E um outro sorriso nasce em-mim.
Mas, morrer sempre me pareceu um absurdo sem igual! Que de tão comum e arrebatador chega a ser pra mim o que há de mais genial no mundo... um dia desses eu vi perto de mim um cara morrendo do coração e olhei pro céu e vi uma estrela e pedi para a VIDA que se entendesse com os nossos sentimentos de Amor pelos corpos vivos que a gente é neste mundo... sei lá! vamos indo, que um dia desses virá ao nosso encontro a bela morte inevitável que eu não quero que chegue pra mim nunca... quero bem viver pra sempre e pronto! este é o meu único pedido para o DEUS.
É!!!
Vou-me e como não sei se DEUS vai querer me conceder tal pedido presunçoso... escolho viver o máximo que eu puder e souber e de cada palavra-ato meu que nasça uma flor, um fruto e sempre uma nova primavera e novas doçuras entre os amargos espinhos deste plano terrestre...

Obrigado amigo por tu existir!
Muito Obrigado!!

Victor Jabbour disse...

Tudo se eternaliza quando vejo o quanto a música, a intensidade e arte dele me fizeram/ fazem feliz. E é no eterno que quero ficar, porque a vida é a continuidade. E o dia que atingirmos essa continuidade, não vai nos importar o que fomos, mas sim que SOMOS - CONTINUAMENTE, INVARIAVELMENTE.
A morte é uma pausa. O espirito transcende.
Paz!

Estou aguardando um retorno seu para nossas criações!

Abrax!