quinta-feira, 4 de junho de 2009

sobre laços


e laços são tão belos, quando firmes, quando fortes, quando sobre aquela força norteiam sua intenção........ quando não, são frouxos, sem fogo, são rasos, soltam-se ao primeiro puxão

que vivamos laços belos e nós bons

e sobre nós, sobre laços
sobre o feminino
sempre
eternamente
Chico Buarque:

"Ele era mil, tu és nenhum
Na guerra és vil, na cama és mocho
Tira as mãos de mim... põe as mãos em mim
E vê se o fogo dele, guardado em mim, te incendeia um pouco

Éramos nós, estreitos nós
Enquanto tu és laço frouxo
Tira as mãos de mim... põe as mãos em mim
E vê se a febre dele, guardada em mim, te contagia um pouco"

3 comentários:

Victor Jabbour disse...

Belo...como sempre...!

Paulo Tamburro disse...

Texto poético, muitisssimo bom.

Você forma de forma profissional.

Parabéns!

ligia.aggio disse...

valeu, valeu!!

=)
fico feliz