terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

semente







Na pessoa tão pequena 
Tão pequena como um grão
Não tem espaço para sofrimento
Não tem espaço para sofrimento, não

E esse grão vai diminuindo 
Diminuindo até quase não se ver
Nesse momento ele é levado pelo vento
O vento leva para começar a ser

O ser voando se lembra das paisagens 
Dos rios e flores que encontrou pelo caminho
E das pessoas, cada um com seu tamanho
E do dia que pensou estar sozinho

Tão sozinho, arrodeado de seu medo
Sozinho, acompanhado de seu cão
Sozinho na beira do precipício
E uma lágrima escorreu pelo salão 

Essa lágrima desceu lá da montanha
E onde passava todo vale floresceu
E neste vale foi que veio um passarinho
E me falou que a semente era eu

Me falou que na pessoa tão pequena
Na pessoa tão pequena como um grão
Não tem espaço para sofrimento
Não tem espaço para sofrimento, não






(hino ofertado por Luciano Pessoa ao hinário Família no Astral,
do Reino do Sol; para ouvir, acesse: http://xa.yimg.com/kq/groups/11375967/1226319469/name/4-SEMENTE-(LucPessoa).mp3)



Nenhum comentário: