segunda-feira, 16 de novembro de 2009

homenagem a uma musAmiga




parece que foi ontem que te reconheci sem te conhecer descendo os paralelepípedos da minha rua... minha que foi sua

e parece que tão já vais embora, dessa rua, dessa história, dessa noite de sol...
deixando um rastro branco de noiva de Clarice e uma isca presa no anzol

espelho próximo, reflexo gritante
por antagonismo distante
é pena que tudo tenha um dia que seguir adiante

e não adianta pedir, o destino não adianta nada antes

de Lígia de tom em tom pra Luiza de Jobim

3 comentários:

Raphael de Souza Araujo Lima disse...

Coisa Bonita!
Me arrepiou!

Todo!

Adeus.

Mas o que se junta em palavras bem juntadas não se separam no amâgo só em corpos. E o que Fica, finca um vermelho eterno no Coração infinito da gente boba que acredita em amor e essas coisas que todo mundo quer...

Raphael de Souza Araujo Lima disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lígia Aggio disse...

=)

bonito comment